Resenha: Insurgente - Veronica Roth

terça-feira, 25 de junho de 2013

Título: Insurgente
Autor: Veronica Roth
Editora: Rocco
Gênero: Distopia
Ano: 2013
Páginas: 512
Nota: ♥♥♥♥

Sinopse: Uma escolha pode te transformar - ou destruir. Mas toda escolha carrega consequências, e, enquanto uma sensação de inquietação assola as facções ao seu redor, Tris Prior precisa persistir em sua tentativa de salvar as pessoas que ama - e a si mesma - ao lidar com questões relacionadas à mágoa e ao perdão, à identidade e à lealdade, à política e ao amor.





[ATENÇÃO! Esta resenha pode conter spoilers do primeiro livro da série, Divergente. Sugiro que leia Divergente antes de ler esta resenha]


Terminei de ler esse livro há um bilhão de anos. Estava só com preguiça de resenhar. Tudo bem, pode me matar.

Em Insurgente, Tris e os outros estão indo para a sede da Amizade, procurando abrigo após a guerra no final de Divergente. Depois de descobriram as "duras" condições do abrigo, eles resolvem partir para a sede da Franqueza, eu acho. Ou junto dos sem-facção. Sei lá. Sei que eles foram indo de um lado pro outro a maior parte do livro.

Nesse livro, nós aprendemos mais sobre as outras facções e sobre os sem-facções. Descobrimos coisas inteiramente novas sobre vários personagens em vez de ficarmos presos no mundinho da Tris. Acho que foi isso que eu gostei mais nesse livro, por eu, sinceramente, não gosto da Tris. Eu gosto de todo mundo, menos ela.

O livro é repleto de ação, tiroteios e confrontos do começo ao fim! E sinto que a autora não aproveitou tão bem isso, uma vez que depois que Tris, a protagonista e narradora da história, matou o Will, seu melhor amigo, ela mal consegue encostar numa arma direito.

A relação entre Tris e Quatro neste livro está muito instável e eles não conseguem confiar um no outro. Não gostei muito. Senti como se as brigas fossem meio forçadas, só pra fazer o leitor ficar meio apreensivo quanto à relação deles. Mas esse não é o ponto principal.

Cada episódio que acontece no livro é super importante. Graças a Deus não tem aquela enrolação que alguns livros têm e isso é uma das coisas que eu mais gosto na série Divergente. Novos personagens são introduzidos e personagens já antigos são mais apreciados.

Por fim, o livro acaba num baite cliffhanger (que é quando uma história acaba numa parte que te deixa se mordendo para saber o que acontece depois), o que foi um golpe inteligente. Estou mega ansiosa para ler o próximo livro, cujo título em inglês é Allegiant. Em português, significa algo como "obediente, leal à uma sociedade ou organização".

Estou trabalhando nessa resenha há dias e estou simplesmente sem palavras para InsurgenteAchei Insurgente uma versão mais adulta, humana e bem mais eletrizante de Divergente. Gostei de todas as situações pelas qual passaram e, apesar de ter umas 500 páginas, é um livro fácil e rápido de ler, porque a escrita da titia Veronica Roth é simplesmente majestosa.

Então, é isso. Os que leram Divergente podem ler esse livro sem medo de ser maçante ou muito diferente. E os não leram Divergente, estão esperando o quê?

Kisses,


2 comentários :

  1. Ai meudeus, não acredito que ainda não li Divergente!! A impressão é que Insurgente segue a mesma linha de Pandemônio, bem mais eletrizante, intenso, adulto e com um baita cliffhanger no final. Esses cliffhangers nos matam hein!! hehe Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  2. Nossa já ouvi falar bastante desse livro e parece ser bom!
    Gostei muito de você! Se tiver tempo dá uma passadinha lá e segue se gostar >>> http://diario-sem-cadeado19.blogspot.com.br/
    Ah já estou seguindo seu blog e adorei!
    Beijos :)

    ResponderExcluir

Deixe um comentário! Não se esqueça de pôr o link do seu blog (caso você tenha um, é claro) para eu dar uma olhadinha lá depois.
Kisses!