Resenha: O Circo da Noite - Erin Morgenstern

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Título: O Circo da Noite 
Autor: Erin Morgenstern
Editora: Intrínseca
Gênero: Fantasia, Romance
Ano: 2012
Páginas: 368
Nota: ♥♥♥♥♥ (5/5)

Sinopse: Sob suas tendas listradas de preto e branco uma experiência única está prestes a ser revelada: um banquete para os sentidos, um lugar no qual é possível se perder em um Labirinto de Nuvens, vagar por um exuberante Jardim de Gelo, assistir maravilhado a uma contorcionista tatuada se dobrar até caber em uma pequena caixa de vidro ou deixar-se envolver pelos deliciosos aromas de caramelo e canela que pairam no ar. Por trás de todos os truques e encantos, porém, uma feroz competição está em andamento: um duelo entre dois jovens mágicos, Celia e Marco, treinados desde a infância para participar de um duelo ao qual apenas um deles sobreviverá. À medida que o circo viaja pelo mundo, as façanhas de magia ganham novos e fantásticos contornos. Celia e Marco, porém, encaram tudo como uma maravilhosa parceria. Inocentes, mergulham de cabeça num amor profundo, mágico e apaixonado, que faz as luzes cintilarem e o ambiente esquentar cada vez que suas mãos se tocam. Mas o jogo tem que continuar, e o destino de todos os envolvidos, do extraordinário elenco circense à plateia, está, assim como os acrobatas acima deles, na corda bamba.


O circo chega sem aviso. Nenhum anúncio o precede, nenhum cartaz em postes ou outdoor, nenhuma menção ou propaganda nos jornais locais. Simplesmente está lá, quando ontem não estava."

O Circo da Noite. Não sei bem por onde começar esse resenha. Pois bem.


Le Cirque des Rêves é o circo dos sonhos. O circo onde tudo é possível e encantador. Você anda pelas diversas tendas e encontra acrobatas, mágicos e contorcionistas, como em qualquer circo. Mas você também encontra o Jardim de Gelo, com suas flores congeladas, e o Labirinto das Câmaras, com muitas salas com coisas que você julgava serem impossíveis.

Porém, por trás daquelas maravilhas, há um desafio sendo disputado por duas pessoas, Celia Bowen e Marco Alisdair, que foram treinadas desde a infância para vencê-lo. O circo é um estádio. Cada nova tenda criada é parte do desafio. Mas os competidores estão apaixonados. E isso, claro, acaba por dificultar tudo.


"- Acho que não há nada de errado em ser um sonhador.- É verdade. Mas os sonhos sempre dão um jeito de se transformar em pesadelo"

Ler um sonho. Foi assim que eu me senti ao ler O Circo da Noite. Como se eu lesse um sonho, e não apenas uma história.

Acontece que O Circo da Noite não centra apenas na competição entre Celia e Marco e em seu romance, mas também em todo o ambiente ao redor deles. A primeira metade do livro é inteiramente dedicada à construção do circo e à formação do clima mágico, sedutor e onírico do livro. Apenas a partir da segunda metade que as coisas ficam mais claras e o enredo realmente avança. Algumas pessoas acham isso ruim e enrolado, mas eu particularmente não vi assim. Eu me encantei com as descrições sobre o circo de tal maneira que não pude parar de ler, ou mesmo ficar menos animada com a leitura. Vi as "enrolações" como uma premissa e uma ambientação para a futura história a ser contada.

A escrita de Erin  é encantadora, sem mais nem menos. O livro não é escrito em uma cronologia exata: às vezes estamos em 1889, e às vezes voltamos à 1902. Mas isso não dificulta de forma alguma a leitura, ao menos para mim. A autora brinca muito com a imaginação e descarta completamente o conceito de possível/impossível, criando tendas incrível para o circo, como A Árvore dos Desejos e o Poço das Lágrimas.

Fui pesquisar algumas resenhas a respeito de O Circo da Noite e vi que não há somente elogios para o livro. Um dos principais argumentos é que "a sinopse promete uma coisa e o livro cumpre outra". Bom, se você não leu O Circo da Noite ainda, fique avisado: se você espera um banho de sangue, morte e dor da disputa entre Celia e Marco, vai encontrar algo ainda melhor - tendas feitas de magia, desejos e ilusões, desafiando o outro a fazer algo melhor.


"Estive cercada por cartas de amor na forma de tendas que vocês produziram um para o outro durante os anos"

Os personagens "secundários" do livro, que para mim têm mais importância do que Celia e Marco em si, são incríveis. Os gêmeos Murray, Poppet e Widget, me conquistaram de cara e não me decepcionaram em momento algum do livro. Herr Thiessen também era um personagem maravilhoso, sonhador e inteiramente apaixonado pelo circo - uma devoção ao local que eu admito que eu mesma teria. E por fim, Bailey, que não é nada mais do que um rapaz normal do campo que acabou se envolvendo com o circo.

Quanto à parte gráfica e visual, tenho apenas uma palavras: uau. Assim como o circo, o interior do livro é inteiramente em preto e branco, com fontes bonitas e páginas amarelas. A capa é linda, em preto e branco com detalhes vermelhos - a marca dos seguidores assíduos do circo, os rêveurs. Confesso que, antes de começar o livro, eu fiquei um tempo admirando as páginas e a capa.

O Circo da Noite foi um livro maravilhoso de se ler: ele me surpreendeu e me fez divagar com suas longas descrições sobre o circo e seus integrantes. Ele me contou não apenas uma história de amor, mas muitas outras. Porém, eu não recomendo o livro a todos os tipos de pessoas. Ele requer paciência e uma mente aberta, ou você o achará enrolado e sem sentido. Mas, para mim, foi uma experiência única. Compre seu ingresso e caminhe pelo circo dos sonhos. Deixe-se levar por suas divagações. Garanto que não irá se arrepender.

Kisses,
Hannah Mila

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe um comentário! Não se esqueça de pôr o link do seu blog (caso você tenha um, é claro) para eu dar uma olhadinha lá depois.
Kisses!