Cinco meses de AAAAAA

sexta-feira, 12 de maio de 2017

desculpem pelo título

Ayooooooo! Tudo bom? (rs) Falta  menos de uma semana para o aniversário de seis anos do Meu Mundo, e eu comecei a me sentir um lixo completo ao perceber que eu não tirava a poeira desse lugarzinho lindo há quatro meses. Sério, faz tanto tempo que eu nem sei como se bloga mais, socorro. Isso me deixa meio chateada - o blog sempre foi algo hiper importante pra mim, mas em algum momento ele acabou deixando de ser prioridade por x motivos, e isso é chato :c Mas eu ainda estou aqui, (mais ou menos) firme e forte, assim como o Meu Mundo ♥

Pensando nesse sumiço, resolvi fazer um resumo do que têm rolado na minha vida nesses meses que passaram - então, está gigante. Se vocês não quiserem ler tudo, eu entendo :v Prontos? Vamos lá ♥


Em janeiro as atividades da página que eu ajudei a criar, a K-Help, começaram ♥ A proposta da página é divulgar artistas de k-pop, juntando informações como história, perfis dos integrantes, curiosidades, links úteis e tudo a que temos direito na hora de conhecer algum grupo novo~ Ela têm consumido a maior parte do meu tempo desde janeiro, já que toda semana um artista é escolhido e nós fazemos toda a pesquisa e etc; admito que, às vezes, é um pouco estressante, mas têm sido tão legal "trabalhar" na K-Help! Nós já passamos das 2 mil curtidas e mais de 20 artistas divulgados, e eu fico tão feliz quando algum curtidor vem falando que nós o ajudamos e elogiando a page ♥ Então têm sido um orgulhinho meu~ (Aliás, curtam lá rs)

Nesse mês também estreou na Netflix a série de Desventuras em Série, uma das minhas sagas de livros preferidas ♥ Eu estava muito animada pra essa série e não fui decepcionada! Eu adorei como os cenários e figurinos são bem coloridos e extravagantes, em contraste à atmosfera sombria da história; eu também gostei muito da quebra constante da 4ª parede e como a narrativa e enredo ficaram bem semelhantes ao livro, com algumas diferenças que apenas beneficiam a série. Mesmo eu tendo os livros milhares de vezes, ainda assim consegui me surpreender e ficar obcecada pela série também /o/

Eu também li mais ou menos nessa época o livro Laranja Mecânica, que eu sempre quis ler e ganhei de aniversário de um amigo, mas só fui ler no começo desse ano )o) Eu gostei muito e, embora seja um leitura pesada, eu li bem rápido porque foi extremamente interessante e diferente de qualquer coisa que eu já tinha lido antes. A narrativa é muito estranha de início, em primeira pessoa da visão do protagonista, e com uma fala informal cheia de gírias inventadas, mas depois que se acostuma se torna muito legal e interessante. A questão moral levantada pela história te faz ficar pensando e repensando suas ideias de vida -qq Só achei o final meio sei lá, mas definitivamente Laranja Mecânica se tornou um dos meus livros preferidos.


No final de fevereiro, ocorreu aqui um evento de k-pop chamado Chuseok, onde eu me apresentei com meus grupos covers! Eu tenho uma dupla, o ALWAYS2 e um trio, o SHY, e eu também dancei em um outro grupo como backdancer; foi maravilhoso dançar minhas músicas preferidas de k-pop, ouvir todo mundo gritando e me suportando, e ver as pessoas vindo depois falar comigo e elogiar a apresentação ♥ Infelizmente eu não consegui ninguém pra gravar pra mim - cacei, cacei, cacei, mas ninguém tinha vídeo meu dançando ;w; Mas em agosto já vai ter outra edição no Chuseok, e eu já estou me preparando para um novo desafio: meu debut solo, ou seja, dançar sozinha naquele palco pela primeira vez /o/ Fighting!

Em fevereiro eu também comecei a assistir a série The Fosters, que passa no canal Sony aqui no Brasil e tem duas temporadas disponíveis no Netflix. A série conta a história de uma família formada por duas mães, um filho biológico e dois filhos adotivos, além de mais duas crianças que estão lá temporariamente. Mas a história é bem mais complexa que isso, na verdade, abordando conflitos adolescentes e familiares, preconceito, problemas do sistema de adotação e etc. Eu ando totalmente apaixonada por The Fosters, já que a história é muito bem feita e bem contada, os personagens são lindos e apegáveis, maravilhosos com todos os seus defeitos (amém Mariana Foster, amo essa menina) e simplesmente não dá pra não ficar "meu deus, o que será que vai acontecer no próximo episódio" com essa série! Então recomendo, bastante ♥

Nesse mês eu também li o livro Azeitona, do Bruno Miranda, um youtuber que eu acompanho há muito tempo, acho que desde que criei esse blog, mais ou menos; eu gosto muito dele e quando descobri que ele ia lançar um romance, fiquei muito animada ♥ O livro conta a história de Ian, um adolescente que é abordado por uma produtora de um reality show sobre jovens casais que vão se tornar pais; Ian não tem namorada e muito menos está esperando um bebê, mas o cachê é tão alto que ele aceita a proposta e chama sua colega de classe Emília para ajudá-lo nesse esquema de mentiras em rede nacional. A escrita do Bruno é muito boa, eu terminei o livro bem rápido porque toda vez que pegava pra ler não conseguia mais parar. Ri, chorei, gritei, senti todas as emoções do mundo, então posso dizer com segurança que Azeitona vale a pena ♥

Ainda nesse mês (eu acho, não lembro exatamente 8D) eu assisti ao filme Hope, que está disponível na Netflix. O filme sul-coreano conta a história baseada em fatos reais de uma garotinha de oito anos que é brutalmente estuprada no caminho para a escola, e como ela e a família lidam com as consequências. É um filme pesado e emocionante, então recomendo que você assista com alguém, abraçado e com lencinhos do lado - eu não fiz isso e fiquei um total destroço emocional por dias depois.  Hope realmente mexe com você, e você fica dias pensando sobre tudo aquilo depois, especialmente ao saber que esse caso realmente aconteceu na Coreia do Sul em 2008 (a menina real tem a minha idade, o que me deixou ainda mais em choque). Eu espero que as pessoas assistam esse filme e tomem consciência, pensem e se emocionem como eu - é realmente o tipo de história que vai mudar a sua vida.


Ah, março. Esse mês foi louco -q

Bom, a coisa mais marcante de março definitivamente foi a minha viagem à São Paulo para ir ao show da The Wings Tour da boybang de k-pop BTS ♥ Eu já tinha ido à SP antes, para o show do Boyfriend em 2015, e eu fiquei muito animada com a perspectiva de voltar, porque eu amo aquela cidade; eu sou uma pessoa de cidade grande, então São Paulo é um lugar que eu gosto muito. Eu peguei o avião pra lá no sábado de manhã, cheguei na cidade às 9h e já fui passear - fui na Galeria do Rock, onde comprei uma meia-calça com estampa de gatinho, uma carteira da Wonder Woman e outras nerdices; fui comer ali pela Praça da República; e fui no Parque da Mônica, onde eu fiquei mais feliz que todas as crianças daquele lugar juntas. Eu nem fui em muitos brinquedos, mas era tudo tão mágico e divertido, coloridinho e interessante, que só de estar ali eu já sentia que estava realizando um sonho

No dia seguinte, no domingo, eu fui para a Liberdade (não podia faltar, né? -q). Lá eu gastei as loucas também, o que inclui uma camisa do Seventeen, jaqueta da Sonserina e muitas comidinhas; também comi Tonkatsu pela primeira vez num restaurante japonês por lá, e estava muito, muito bom ♥ Na segunda, que era o dia do show, eu ainda arranjei um tempinho de ir na Liberdade comer num restaurante coreano lá; eu comi o típico churrasco coreano, que eles levam os acompanhamentos e a carne na sua mesa e você grelha ela numa grelha que tem embutida na mesa - foi a primeira vez comendo comida coreana e estava muito gostoso, então recomendo ♥

Agora, sobre o show em si: foi exatamente o que se espera de um show de um grupo que você gosta muito - mágico. Foi uma loucura pensar que o BTS estava bem ali, a poucos metros de mim.

Eu fiquei um pouco chateada porque tinha planejado ir ao show com uma amiga, mas a gente acabou se perdendo e as amizades que eu fiz na fila também se separaram de mim sem querer. Por causa disso e da multidão, eu tive uma crise de ansiedade minutos antes do show, sozinha e no fundo da pista :( Mas assim que a música começou e os meninos do BTS apareceram no palco, eu comecei a ficar melhor. Apesar de eu não ser a maior fã de BTS do mundo, eles são bem importantes pra mim - as músicas deles carregam significado lindos que me ajudam muito durante os momentos difíceis. E dessa vez não foi diferente ♥

Foi muito, muito, muito incrível. Não tem como descrever o sentimento de estar no meio daquele público. Apesar de multidões me deixarem um pouco nervosa, ali todo mundo parecia emanar um amor tão grande que era aconchegante. Quando cantávamos as músicas e os meninos do Bangtan sorriam com orgulho, eu soube que estava exatamente onde deveria. O show pareceu acabar muito rápido, mas valeu tanto a pena. O BTS foi extremamente maravilhoso e apaixonado, animados e sempre fofos ♥ Eles claramente estavam tão emocionados quanto a gente - eu senti vontade de pular no palco e abraçar o Jimin quando ele começou a chorar no final do show! E o meu bias sempre foi o Suga (inclusive, imagina o quanto eu gritei toda vez que ele falava qualquer coisa), mas com o show eu acabei me apaixonando pelo Rap Monster, o seu jeito fofo com os fãs e presença de palco desse moço.

No mais, o show foi muito marcante e muito lindo ♥ Eu fiquei chateada por não ter comprado nenhuma lembrança nem conseguido gravar algum vídeo, já que s bateria do meu celular tinha acabado ainda na fila :c Mas é impossível apagar da minha memória e do meu coração aquela sensação de amor e felicidade ao cantar Spring Day junto com o BTS e os fãs no final do show ♥



Abril não aconteceu muito, foi só preocupação com a escola e outros casos pessoais. Fiquei meio triste porque minhas notas abaixaram um pouco esse ano, por causa de uma mudança na metodologia da minja escola e também por um certo descaso meu também :/ Eu estou determinada a ficar mais focada e reconquistar minhas notas até o final do ano, apesar de, ultimamente, tudo parecer difícil - eu não me lembro de sentir tanta dificuldade assim para estudar ou mesmo levantar para ir pra escola antes...? Eu também recebi minha nota do PAS, um programa de avaliação para entrar na UnB aqui em Brasília, e tirei uma nota até que boa (44,218 - considerando que a média foi 25, eu tô bem 8D) ♥ Mas eu decidi que quero fazer cinema, e achei alguns cursos de cinema com foco em animação - que é exatamente o que eu queria - fora do meu estado; então ainda vou dar uma pesquisada e decidir como lidar /o/

Nesse mês eu assisti a segunda parte da série The Get Down, uma série sobre a origem do hip hop nos anos 70 que eu resenhei aqui - desnecessário dizer que eu amei, já que esse série é uma das minhas preferidas desde que foi lançada ano passado ♥ Ando ouvindo a trilha sonora obsessivamente e fazendo altas análises sobre os personagens -qq A segunda parte toma rumos mais pesados que a primeira, e o final é um pouco ?????, então estou à espera do anúncio da segunda temporada. Mas no geral, a única coisa que eu achei meio chato dessa parte foi que algumas sequências foram em animação, mas não foram muito bem feitas e eram claramente um artifício para cobrir a ausência de alguns atores das filmagens (não me pergunte o porquê 8D).

E falando em porquê, nesse mês eu também assisti à série Os 13 Porquês, ou 13 Reasons Why. que creio que seja desnecessário falar muito sobre, tamanha foi a repercussão dela /o/ Eu gostei bastante da série, achei interessante de um ponto de vista mais frio - porém, o meu lado mais sensível foi bem afetado porque ela é realmente pesada e contém gatilhos. Então, caso você se interesse pela série mas seja mais sensível ou tenha algum transtorno, eu sugiro não assistir ou ter muito cuidado ao fazê-lo. Eu gostei da série e da discussão que propõe, mas acho que poderia ter sido melhor executado (não vou me alongar muito porque minha opinião é bem extensa e complicada -q).

A Menina Que Navegou ao Reino Encantado no Barco Que Ela Mesma Fez é um livro infantil muito lindinho que meu amigo me emprestou porque ele disse que achou "a minha cara"; ele conta a história de Setembro, uma garotinha que vai para o Reino Encantando num Leopardo voador e, junto a um dragão alado e um menino quase-humano, segue em algumas aventuras ♥ Essa sinopse pode soar meio vaga, que é como realmente é o livro - ele é um pouco desconexo, viajado, mas é bem interessante de ler. Esse livro me lembra muito Alice no País das Maravilhosas por conta do próprio gênero da história, a variedade curiosa de personagens e o fator "viajado" /o/ Ele tem uma mitologia própria que é muito interessante e personagens bem construídos e complexos, mas mesmo assim é uma leitura bem leve. Ainda faltam umas 50 páginas pra eu terminar, mas eu estou gostando bastante


Agora eu maio, eu fui no Festival do Japão, um evento de cultura japonesa que tem todos os anos aqui em Brasília ♥ Eram três dias de feira, e eu fui nos três - admito que lá pelo segundo dia eu já tava "tá, quero ir embora", mas eu fui cada dia com companhias diferentes, inclusive algumas que eu não via há muito tempo, então isso foi legal /o/ Comprei algumas coisinhas, como uma camisa de Fullmetal Alchemist, uma de Sword Art Online, alguns pôsteres e colares, mas a maioria do meu diferente foi pra comida mesmo (confesso que me arrependi um pouco depois que achei lá um box lacrado de todos os mangás de Death Note, mas shh, o takoyaki - entre outras comidinhas - tava gostoso). Comprei um colarzinho (a segunda foto aqui de cima) que é uma garrafinha com um flor minúscula de kirigami dentro - foi 45 reais, mas foi um dinheiro bem gasto xD

Caso você me siga nas redes sociais, deve ter percebido que praticamente a única coisa que eu falo sobre é Seventeen - até assuntos não relacionados a Seventeen e k-pop eu consigo distorcer pra ser sobre o meu grupo preferido /o/ Inclusive, sinto muito por isso, deve ser um saco. Mas enfim, o comeback dos meninos está marcado pro final desse mês, então eu to despirocando completamente nos últimos dias. Esperem muito mais parágrafos sobre Seventeen por aqui -q

E, por fim, mas não menos importante - O Famigerado Aniversário do Meu Mundo. Essa correria desses meses, que foi mais escola, aulas extras, ensaios e K-Help, não me permitiu dar ao blog a atenção que eu queria :c Então eu literalmente só fui lembrar que eu devia postar aqui quando fui conferir meu calendário e estava lá marcado o dia 18 de maio: o aniversário de seis anos do Meu Mundo. Como está muito em cima, não tem como eu fazer algum evento bonitinho, porém, caso queiram, sintam-se livres para mandar alguma mensagem de aniversário, aqui pelos comentários ou pelas minhas redes sociais que estão na sidebar aqui do lado ^u^ Vou compilar tudo num post de aniversário no dia 18 ~ou algum dia próximo a ele, porque ser estudante inclui não ter tempo de viver durante os dias de semana~ Me sinto mal por não ter feito algo bonitinho esse ano, nem mesmo um layout ;w; Mas pelo menos estou aqui, sem deixar a data passar batido apesar dos empecilhos  da vida /o/

~ ♥ ~

Ufa??? É isso, gente! Desculpem pelo post gigante e cansativo e não desistam de mim -q

Espero que tenham gostado e saibam que eu não morri, só quase só estou realmente muito ocupada ;u; Vou tentar postar com mais frequência - assim, em um intervalo melhor do que cinco meses já é um progresso, né? ASHAUSHAUSH

Até a próxima ♥ Bye bye~

Um comentário :

  1. Oi! Não sei se já comentei por aqui, mas acho que conheci o blog ano passado.
    Cara, que saudades de comentar em um blog. Sério. Nem sei quanto tempo faz que o meu feed de blogs está parado. Antes a blogosfera era tão animada, bons tempos.
    Feliz aniversário do blog! Não consigo crer que 2011 faz seis anos atrás, na minha cabeça parece que foi ano passado ou retrasado. Que coisa. Isso é um tempão, parabéns, sério!
    Acho muito legal isso de grupo cover. Eu até queria dançar, mas fica só no desejo mesmo, não me dou bem com qualquer coisa que precise se mexer muito euehue parabéns pelas apresentações~
    Azeitona é um nome bem curioso, confesso que não entendi quando li esse título euehue tenho tantos livros pra ler, mas não consigo terminar nenhum. Acredita que eu não tenho mais tempo? Tipo, 0% de tempo. Durante a semana, eu fico fora, literalmente, o. dia. todo. Só volto pra casa lá pelas 17h30 ou 18h00, é terrível, tenho muita aula. Minhas notas também abaixaram. Eu estava indo tão bem ano passado. Boa sorte pra nós duas.
    Eu não consigo ver esses filmes emocionantes ou que relatam uma tragédia que aconteceu de verdade. Sou um pouco sensível em relação à isso. Não chego a chorar, mas mexe muito comigo.
    Meu sonho é viajar pra SP um dia! O show deve ter sido incrível. Eu não estava lá, tampouco acompanhei - nem lembrei, não tinha tempo aaaaaaaa -, mas é sempre incrível quando um grupo de kpop vem pro Brasil. Queria ter acompanhado mais o show do Stellar também, mas não deu :c minha colega me dizia que SP é um ótimo lugar pra comprar roupas, que lá tem um monte de roupas diferentes e legais. Você podia fazer um post falando sobre sua viagem, se tiver tempo, e se quiser, óbvio. Sei lá, gosto desse tipo de postagem euhee
    Eu nem tenho Netflix, não gosto de acompanhar séries (pois é), mas confesso que dói no coração algumas vezes porque tem algumas séries que eu gostaria muito de ver, tipo RuPaul's Drag Race. Não posso falar nada de 12 Reasons Why, porque né. Vi que mais gente pensa como você, que a série não abordou muito bem o assunto e tal, mas fico feliz que o assunto foi abordado, pelo menos, porque é uma coisa super importante que muita gente trata como ''frescura''.

    Ok, como disse antes, não acompanho esse blog faz muito tempo... mas me dou ao luxo de dizer que gosto bastante daqui, do estilo desse blog. Eu adoro blogs mais ''pessoais''. E, sério, aguentar 6 anos na internet não é pra qualquer um. Parabéns pelo aniversário do blog, mana. Continue até quando durar, e espero que seja bastantão. Aqui é muito incrível <3

    (Até fiquei com vontade de criar um blog de novo, depois de tanto tempo. Uma pena que a blogosfera está tão parada eueheu)

    ResponderExcluir

Deixe um comentário! Não se esqueça de pôr o link do seu blog (caso você tenha um, é claro) para eu dar uma olhadinha lá depois.
Kisses!